Rua da Glória, 98 - 1° Andar
Liberdade - São Paulo

(11) 4210-2022
contato@fadespadv.com.br

A FADESP - Federação das Associações de Advogados do Estado de São Paulo – tem sua origem nos idos de 1.998, em decorrência da necessidade de defesa da advocacia em sua incessante luta em prol do Estado Democrático de Direito, dos Valores Universais da Humanidade e dos Direitos Humanos.

Naqueles dias, o advogado Raimundo Hermes Barbosa liderou um grupo de colegas paulistas que, unidos, resolveram iniciar e financiar um movimento de valorização da advocacia junto ao poder público e a população, inclusive, prestando assistência e serviços aos próprios advogados.

​Incontinentemente, este movimento passou a operar silenciosamente na advocacia paulista e recebeu várias adesões, tendo aos 15 de outubro de 1.998, sido formalmente constituída nossa entidade, em cuja assembléia de fundação estavam presentes os advogados Raimundo Hermes Barbosa, Jorge do Nascimento, Aní­bal Monteiro de Castro, Fátima Lucia de Castro, Nelson Gonçalves Pena, Cí­cero Harada, José Luiz Toro da Silva, Durvalino Pí­colo, Antonio Padilha, Paulo Celso de Carvalho Moraes, Washington Corte Siqueira, Marcos José Bernadelli, Denerval Machado Rodrigues de Melo, Plí­nio Sarti, João Carlos Figueiredo, Ivon Ribeiro, Fábio Trombetti, Edson Francisco Furtado, Antonio Padilha, Diogo Rodrigues Filho, Luciene Ferreira Lacerda, Augusto Rocha Coelho, Jair Nunes da Rosa, Daniel de Campos, Cleusa Lavoura Lima, Débora Guimarães Barbosa, Helena Espósito, Eliana Luiza Nascimento de Carvalho e Maria Aparecida Figueiredo da Silva.

​De lá para cá, diuturnamente vem congregando os advogados e associações de advogados no Estado de São Paulo em uma pauta de conscientização e discussões totalmente voltada a estes propósitos originais de valorização da advocacia e do advogado.

​Paralelamente, no judiciário, buscando valorizar os advogados em dificuldades financeiras, engajando-os no processo eleitoral da OAB – SP, nossa entidade impetrou mandado de segurança para assegurar o direito ao voto nas eleições locais, por parte do advogado inadimplente com a anuidade compulsória.

Lutou em favor dos advogados contra o “apagão” da energia elétrica, pois, nossa entidade jamais admitirá limitação de infra-estrutura governamental ao munus público e função social da advocacia, tendo na oportunidade ajuizado competente ação civil pública.

​Está na qualidade de assistente do Órgão elaborador do diploma legal “ Código de Defesa do Consumidor, na Ação Direta de Inconstitucionalidade ADI nº 2591/2001, que visa declarar a inconstitucionalidade formal da expressão “inclusive as de natureza bancária, financeira, de crédito e securitáia, constante do artigo 3º., Parágrafo 2º., da Lei 8078/90.

​Enfrentou a mudança da carteira do advogado para garantir a identificação com a carteira histórica.

Nos dias de hoje, vem travando luta intransigente contra a perseguição odiosa de advogados pelas autoridades públicas, tendo impetrado perante o Supremo Tribunal Federal competente Habeas Corpus em favor da advocacia, visando banir o “grampo” telefônico contra o advogado, que apesar de não acolhido, marca o iní­cio desta batalha que somente terminará quando se restabelecer o respeito e inviolabilidade do advogado, no exercí­cio de seu mister.

Aos 30 de outubro de 2.003, a Fadesp instituiu a Fundação Clovis Bevilaqua, tendo como Presidente Sérgio de Azevedo Redó, Vice Presidente Durvalino Pí­collo, 2º Vice Presidente Sergio Roberto de Niemeyer Salles, Secretário Geral Everson Tobaruela, Secretária Adjunta Luciene Ferreira Lacerda, Tesoureiro Luis Augusto Zanoni dos Santos, Tesoureiro Adjunto Marcos José Bernardelli; como membros do Conselho Curador: Raimundo Hermes Barbosa, Débora Guimarães Barbosa, Everson Tobaruela, José Carlos Graça Wagner, Raimundo Sales Santos, Roberto Marques das Neves, Ronald de Amaral Kuntz, Edmund Rubie, Therezinha Zerbini, José Gaspar Ferraz de Campos, Ricardo Hasson Sayeg, Giulio Cesare Cortesi, Marino Pazzaglini Filho, Oswaldo Aristodemo Negrini Junior, Cassio Mesquita Barros; e Conselho Consultivo: Anderson Pomini, Aní­bal Monteiro de Castro, Benedito Marques Balouk Filho, Cí­cero Harada, Esdras Dantas de Souza, Fábio Marcos Bernardes Trombetti, Francisco Fernandes Cruz, Karin Sayeg, Luiz Riccetto Neto, Marcos Petito, Maria José P. da Silva ONeill, César Romão, Paulo Alves Esteves, Hamilton Ferreira e Denerval Machado de Melo.

​Atualmente, em razão do apoio prestado por seu Presidente e outros membros á eleição do Presidente da Seccional de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil – Luiz Flavio Borges D'urso, indicou vários membros que compõem o Conselho Federal, na pessoa do advogado Aderbal Cunha Bergo, o Conselho Seccional nesta administração, na pessoa dos advogados Aní­bal Monteiro de Castro, Cí­cero Harada, e, várias comissões, em especial, quanto á assistência ao advogado paulista, a Presidência da Comissão de Assistência Judiciária – o advogado Marcos José Bernardelli e na secretaria Luciene Ferreira Lacerda e Valdomiro Pisanelli; a Presidência da Comissão Eleitoral, o advogado Everson Tobaruela e seus membros Nelson Luiz Pinto e Cláudio Finkelstein, quando á defesa do Estado Democrático de Direito, em proteção da cidadania e da população; o Vice–Presidente da Comissão de Meio Ambiente, o advogado Durvalino Pí­collo, quanto á defesa do meio ambiente; no Tribunal de Ética, os advogados Henrique Crivelli Alvarez, Presidente do Tribunal de Ética em Bauru, Cláudio Bini, Presidente do Tribunal de Ética em Piracicaba, Aderbal da Cunha Bergo, Presidente em Campinas, Jorge do Nascimento; o Presidente da Comissão de Reforma do Judiciário, o advogado Ricardo Tosto e seu membro Ricardo Hasson Sayeg, quanto a reforma da Justiça; quanto a Comissão Especial de Propriedade Imaterial, a advogada Débora Guimarães Barbosa; o advogado Edí­lson Rinaldo Merli; José Tarcisio Oliveira Rosa; Luiz Antonio Ignácio, Nelson Francisco Ferreira Ventura Seco.

Seguindo sua vocação de assistência ao advogado paulista, por indicação do Presidente da Seccional de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil – Luiz Flavio Borges D'Urso, o Presidente da Fadesp Raimundo Hermes Barbosa e o Vice Presidente Ricardo Hasson Sayeg, assumiram o Conselho e, o primeiro, a Presidência deste, na Carteira de Previdência dos Advogados do Estado de São Paulo, para enfrentar a questão do fim do repasse das custas judiciais pelo Estado de São Paulo e, buscar garantir a aposentadoria do advogado paulista.

Na última greve do judiciário, participou efetivamente para resolver a situação e realizou convenio com a Nossa Caixa criando condições de financiamento á advocacia, dentre outros benefícios.

O advogado tem um encargo divino e, assim, por origem e vocação, é o defensor das aflições humanas, vale dizer, o paladino dos Valores Universais da Humanidade, do Estado Democrático de Direito e dos Direitos Humanos.

Não se combate o mal com o mal, mas, sim, o mal com o bem; sendo, por isso, que o advogado defende o ser humano, ainda que seja o pior dos homens.

A longa tradição liberal e a cultura do mundo civilizado consideram o advogado indispensável á boa administração da Justiça, pois, se a solução das controvérsias, seja qual for a natureza, não ocorrer pelo Direito, se o pior bandido não tiver um processo justo, todos os conflitos seja entre as pessoas, seja entre elas e o Estado serão resolvidos pela força bruta, levando-nos ao caos.

Nesse caso, todos pegarão em armas em uma insana luta de todos contra todos.

Como conta Antônio Arnaut, em sua obra Á Iniciação á Advocacia, Coimbra, 1993, o advogado exerce, pelo combate pacífico e pelo exemplo, uma verdadeira magistratura moral e cívica de defesa do Estado Democrático de Direito, protesta contra as violações dos direitos humanos e combate as arbitrariedades; estes são seus deveres indeclináveis, aliás, estatutariamente consagrados.

E exemplifica que foi um advogado, Lincoln, quem aboliu a escravatura nos Estados Unidos. Ainda parafrazeando Arnaut, são os advogados quem, ainda hoje e por todo o mundo, velam pela realização do Direito e combatem as leis injustas e arbitrariedades perpetradas, defendendo, num heroí­smo anônimo, os seres humanos contra o rolo compressor da vida moderna.

Quando todas as portas se fecham diante do cidadão sem face a clamar por Justiça, há ainda alguém disponí­vel para escutar as suas razões e bater-se por elas: é o advogado. Cita, assim, o juiz Pierre Pajardi, cujo pensamento sintetiza a nossa filosofia: o advogado é o primeiro, mais importante e muitas vezes o único tutor da pessoa humana.

Receba novidades em seu email!

Cadastre-se e receba em seu email notificação de publicações e artigos da Fadesp.